“Mil Nomes – O guardião do Infinito” by J.R.Pereira

Sorry english spoken friends. This time this text here will only be in Portuguese because it´s a review for a book, that for now it´s only available in Portuguese as it´s a fantasy novel from Brasil. When it´s released in English later on, i´ll add an english version for this review then. For now, this one is just for Portuguese spoken people. 😉

UPDATE OUTUBRO 2016: Infelizmente J.R.Pereira, o autor deste livro faleceu de doença prolongada um par de meses após eu ter escrito esta review. Bem antes do livro ter uma distribuição em larga escala; por isso certamente hoje se encontrarem uma cópia será talvez em alfarrabistas ou lojas de livros usados, feiras, etc.
De qualquer forma decidi manter aqui a minha review pois o livro é realmente muito original e neste momento tornou-se também num objecto de coleção que recomendo vivamente se o conseguirem encontrar. – Luis Peres 2016

REVIEW ORIGINAL

Quando eu pensava que já nada me surpreenderia no que toca a conceitos e histórias de fantasia, eis que me deparo com [“Mil Nomes – O Guardião do Infinito”] do escritor Brasileiro J.R.Pereira e acho que ainda estou a tentar recuperar os pedaços de cérebro da parede. Isto porque ler “Mil Nomes” é uma experiência única. Pelo menos eu nunca tinha lido nada assim.


Nas suas 200 páginas há mais ideias, conceitos, criatividade e imaginação do que em muitos livros de milhares e milhares de páginas.
[“Mil Nomes – O Guardião do Infinito”] é um livro difícil de se ler. Mas não pensem que é por ser chato ou arrastado ou algo assim. Não, “Mil Nomes” é díficil de se ler porque, primeiro apanha o leitor totalmente desprevenido pelo próprio estilo do conceito. Quero dizer, a mim pelo menos nunca me passaria pela cabeça que alguém resolvesse um dia escrever aquilo que é essencialmente um Manga (ao melhor estilo Japonês) mas em prosa !!! What ?!!!
E resulta ?
Se resulta meus amigos !
[“Mil Nomes – O Guardião do Infinito”] é díficil de se ler pela mais positiva das razões e como tal – “díficil” – aqui neste caso é uma mais valia e nunca será uma coisa negativa. E o que eu quero dizer com isto ?
É assim, há tanta imaginação, mas tanta imaginação, tanta coisa a acontecer, tanto conceito criativo e o ritmo narrativo é tão dinâmico que em duas páginas há mais conteúdo para nós absorvermos e pensarmos no que lemos do que em muitos livros ditos “mais sérios” e não estava nada á espera disto num “Mil Nomes” que á partida pode parecer apenas um Manga entre outros. Mas não é.


Se [“Mil Nomes – O Guardião do Infinito”] fosse um Anime televisivo, este teria uma montagem típicamente japonesa com tudo a acontecer ao mesmo tempo e duzentos frames de animação estilizados por segundo !
É isto que transpira através de toda a prosa de J.R.Pereira. Nota-se que há aqui um desejo tão grande de se contar uma grande história que não conseguimos evitar sentir que o autor tentou escrever cinco ou seis volumes de 500 páginas apenas num único de 200.
No entanto, isto que poderia ter destruído por completo o livro enquanto tal, acaba por lhe dar uma dinâmica única e muito viciante.
Digamos que é um Anime em prosa com uma montagem a duzentos á hora que pede uma leitura ao melhor estilo cinema de autor. Com muiiiiiita calma. Muita calma.


Sim, porque não pensem que isto lá porque se parece totalmente com uma espécie de “Dragon Ball” em versão brasileira a um primeiro olhar, queira dizer que assim é.
[“Mil Nomes – O Guardião do Infinito”] é um Anime em prosa que vai para além de tudo o que vocês possam imaginar e pré-conceber e como tal aposto que J.R.Pereira se encontrou no mesmo dilema que eu me encontro com o meu próprio trabalho de BD (quadrinhos) aqui em Portugal e não só. Isto é, como convencer os leitores que apesar do aspecto infantil , estes bonequinhos “para crianças” em estilo fofinho são apenas um meio para passar uma mensagem muito mais adulta ?
Imagino que [“Mil Nomes – O Guardião do Infinito”] terá o mesmo problema em divulgação que eu tenho com o meu próprio trabalho. Muito público -adulto- nem irá sequer dar uma chance ao livro por causa do seu visual “infantil” ou estilo Manga/Anime aparentemente para crianças. E se calhar o público mais jovem poderá ficar algo indiferente a tanta temática filosófica, religiosa, politica e social que percorre todas as aventuras destes personagens fascinantes criados por J.R.Pereira.
A prosa parece escrita para crianças, mas depois o conteúdo e a mensagem vai muito para além daquilo que aparenta, como tal este é um equílibrio sempre muito complicado de se manter. Não pela qualidade da escrita mas por ser uma forma arriscada de cativar eventuais leitores.


No entanto [“Mil Nomes – O Guardião do Infinito”], (quando paramos para respirar durante a sua leitura, e damos um tempo para pensar no que estamos a ler), é um livro que irá agradar certamente a um vasto público que se propor a entrar por este livro a dentro sem preconceitos.
Não adianta tentarem ler este livro como todos os livros que já leram na vida. Nunca leram nada assim, garanto-vos. Agora se lhe derem uma chance tenho a certeza que se irão divertir bastante, pois há nele elementos suficientes para agradar tanto a crianças que o vão curtir pelo aspecto Anime da coisa e pelas épicas sequências de acção narradas em prosa (com alguma banda desenhada pelo meio também), como a adultos que procuram uma proposta de fantasia única.
Se pensam que já tinham visto todos os tipos de universos que havia para imaginar, meus amigos…think again !


O público jovem que goste de ler, vai curtir o ritmo narrativo alucinante deste livro, pois emula bastante bem a estrutura de um Anime televisivo ou de um Manga mas em prosa, por isso isto não é de todo uma daquelas obras que afastaria o público mais teen por poder ser considerado um livro chato.
No entanto, estranhamente para mim a grande força de [“Mil Nomes – O Guardião do Infinito”] está no facto de ser uma história que irá agradar principalmente ao público mais adulto, pois muitas das suas temáticas serão bem melhor absorvidas por quem se interessar á partida por filosofia, religião (não no sentido religioso); e até por temas mais paranormais e científicos, isto porque este livro abrange tudo desde a temática da vida depois da morte até aos melhores e mais contemporâneos conceitos de física quântica e String Theory.
É pena este livro ainda só estar disponível em Português do Brasil, pois se existisse em inglés estou a ver o físico Michio Kaku a curtir esta leitura de uma ponta á outra, pois todo o seu conceito engloba muito daquilo que ele próprio costuma discutir nas suas apresentações e documentários científicos.

Resumindo, penso que J.R.Pereira tem aqui material para muitos e bons livros. Agora nem sei como ele irá fazer para as sequelas depois deste primeiro volume conter tanta imaginação ! Depois disto, o que mais há ainda para inventar que possa enriquecer ainda mais este universo tão fascinante e viciante ?
Pessoalmente eu adoraria, ler uma nova edição deste primeiro volume, mas com mais uns 200 páginas extra. Assim uma espécie de “directors cut” mas com muitas cenas adicionais. Penso que apesar de [“Mil Nomes – O Guardião do Infinito”] já ser suficientemente viciante e cativante como está, teria tudo a ganhar numa revisão mais pausada onde houvesse mais espaço na narrativa para intercalar melhor as cenas de acção épicas ou sequências mais imaginativas, quando mais não seja para que o leitor não fique com o cérebro frito a uma primeira leitura deste inesperado e fascinante universo Manga em prosa.


Totalmente recomendado a quem procura uma proposta inesperada dentro do estilo de fantasia e algo que vai muito para além do aspecto simples e infantil que o livro tem a um primeiro olhar.
Eu por mim estou curioso com o que acontecerá numa sequela que espero não demore muito a acontecer, pois a haver algo de menos positivo nisto tudo é apenas aquele gostinho a pouco que fica no fim da leitura pois mesmo apesar dos milhares de detalhes e pormenores imaginativos, esta primeira aventura deixa-nos com aquele sabor a uma introdução de personagens e ficamos com vontade de acompanhar uma historia em que já não haja necessidade de tão minuciosamente explicar quem é quem.

Não posso deixar de terminar esta review, sem referir que provavelmente só mesmo em “brasileiro” é que se conseguiria escrever um Manga/Anime em prosa mantendo uma atmosfera totalmente fiel ás suas influências nipónicas. Isto porque nem em Português de Portugal eu acho que alguém conseguiria produzir um livro assim, principalmente porque o “colorido” da própria lingua “brasileira” é simplesmente perfeito perfeito para criar aquela atmosfera “cute” e fofinha totalmente Manga e como tal esta é uma das razões que tudo resulta num óptimo conjunto.
E por falar em Manga, o livro é em prosa, mas as últimas páginas são em banda-desenhada (quadrinhos para vocês no Brasil) desenhadas exactamente no estilo Manga , o que complementa de uma forma bastante original todo o trabalho e harmoniza ainda mais todas as ilustrações que estão espalhadas pelo livro com uma identidade visual excelente e cheia de personalidade.
Só é pena o livro não ter mais desenhos ainda.


Mas afinal [“Mil Nomes – O Guardião do Infinito”] é sobre o quê ?
Quem gosta de temas filosóficos, com base em inúmeras correntes de pensamento, esoterismo quanto baste e uma pitada de fisica quântica vai gostar de espreitar isto. Além disso mesmo com todas as suas influências exteriores nunca perde uma identidade Brasileira o que só lhe fica bem.
Mesmo que eu quisesse eu não lhes conseguiria resumir uma parcela de toda a imaginação que existe apenas logo nos primeiros capítulos, quanto mais no resto do livro.
O primeiro capítulo é demais ! E o segundo também… e o terceiro…

Uma história cinco estrelas para quem pensa que já viu tudo no que toca a universos originais que vale a pena descobrir e cheira-me que isto ainda tem muito para dar.
É um livro num formato pequeno mas com muito conteudo e um grafismo muito agradável e cativante a todos os níveis também e que dá para levar para todo o lado, sendo uma espécie de literatura light em aspecto mas com muito muito conteúdo que ainda poderá provocar uma discussão filosófica ou duas entre leitores. 😉


 

 

 

Fotos do Livro – Book Photos

Nestas coisas do self-publish, a pergunta mais frequente é sobre a qualidade técnica da própria edição dos livros. Por muito que uma pessoa tente explicar por palavras é sempre dificil demonstrar ás pessoas o excelente trabalho que o Lulu.com costuma produzir.
Por isso ficam aqui algumas fotografias do livro. Eu sei que as imagens não estão famosas mas em breve quando tiver realmente tempo para me dedicar a isso colocarei aqui melhores fotos.
Por agora espero que estas fotografias lhes possam dar um ideia da excelente qualidade que consegui obter recorrendo aos serviços de impressão do Lulu.
O livro tem uma sólida capa dura com uma impressão luminosa e onde cada cor do meu trabalho ficou realmente muito bem reproduzida. O interior do livro é todo naquele papel fotográfico que podem encontrar em revistas mas com uma gramagem superior que o torna bastante agradável ao toque quando desfolhamos o livro e as 200 páginas a cores não podiam ter ficado melhor pois reproduzem com muita vida cada uma das minhas centenas de ilustrações presentes neste volume.

–//–

Usualy what worries people the most when we talk about self-publish is the actual quality of the printed editions of each book. Because words and descriptions are not enough here it is some photographs of the actual printed book so you can get a glimpse of the edition.
It´s an hardcover 200 page color book and Lulu.com realy did a good job on this one. Solid and heavy cover with vibrant colors and a fantastic interior shinny paper wich make all of my watercolors stand out on each page.
Take a peek. I know the photos are not that great but i´ll post better ones as soon as i have more time as right now i´m translating the entire work into english, so very soon i´ll be publishing it also in a good hardcover edition like this one i have right now in Portuguese.

Book_0001
Book_0002
Book_0004
Book_004a
Book_004b
Book_0005
Book_0006
Book_0007
Book_0008
Book_0009
Book_0010
Book_0011
Book_0012
Book_0013
Book_0015
Book_0016
Book_0017
Book_0022
Book_0023
Book_0025
Book_0026
Book_0027
Book_0028
Book_0029
Book_0032
Book_0033
Book_0034
Book_0035
Book_0036
Book_0038
Book_0043

Book_0003
Book_0040
Book_0041
Book_0042